12/06/2017

Casacor 2017 | Casa da Mata, por Olegário de Sá e Gilberto Cioni

Em um equilíbrio perfeito entre o moderno e o orgânico, a Casa da Mata, ambiente assinado pela dupla Olegário de Sá e Gilberto Cioni para a 31ª Casacor São Paulo, propõe uma reconexão com a natureza, desejo este que vai de encontro não apenas com o tema da mostra – “Foco no essencial” – mas também com a tendência mundial de incorporar elementos naturais no décor. Materiais como a madeira e as pedras, utilizados em seus estados brutos, foram empregados de diferentes maneiras e associados à aparatos tecnológicos e soluções sustentáveis.

A casa convida os visitantes a conhecer, primeiramente, o  deck feito de garrafas pet recicladas e muro gabião de arenito com tela metálica, erguido sem argamassa – ou seja, ele pode ser desconstruído sem causar qualquer impacto. Em seguida, uma porta pivotante abre caminho para os ambientes internos, a começar pelo living completamente integrado. De cara, a sensação é de conforto e sofisticação, atmosfera criada pela mistura inteligente de peças imponentes assinadas por designers e texturas naturais. A madeira, grande destaque da sala de estar, reveste o piso e percorre também as paredes e teto do ambiente, criando uma espécie de caixa. Imensas janelas de vidro colaboram para que a luz natural inunde, aqueça e vitalize os espaços.

Na sala de jantar, setorizada pela divisória de vidro, a mesa Serra Pelada contrasta com a delicadeza das cadeiras da Saccaro revestidas de tecido rosa pálido. Integrada a este ambiente está a cozinha, que ganhou além de uma bancada gourmet, uma estante aberta para guardar os utensílios. O móvel também faz as vezes de balcão para refeições rápidas. Ao fundo, um jardim interno ocupa um cantinho especial e fica mais iluminado com o neon azul e vermelho de Fernando Simões. Esse espaço verde conta com o apoio da horta de terrários (Jardim SP), atirantados no teto e encaixados no nicho de arenito.

A sensação de bem-estar continua no quarto, assim como a proposta de integração. Mais uma vez a madeira está presente no piso e teto, mas divide o espaço com o tecido fendi (Quaker) do painel que reveste algumas paredes e faz as vezes de cabeceira. Já o arenito vira cenário para a banheira de pedra sabão (Pagliotto Pedras). Pesando duas toneladas, ela tem lugar especial ao lado de um jardim e sob o rasgo no teto que proporciona a entrada da luz natural.

O grande charme do banheiro com certeza é o teto, que ganhou acabamento em papel de parede com estampa floral bastante tropical (Orlean), fazendo alusão ao paisagismo de de Ricardo Pessuto dentro da área do chuveiro. Para compor, a bancada de arenito de forma sinuosa é acompanhada por um armário rosa e cuba de louça.

 

 

fotos por Thiago Travesso

Fotos realizadas por...

Thiago Travesso

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *