05/03/2016

DOS MUXARABIS AOS COBOGÓS

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (8)

Não é de hoje que os elementos vazados fazem sucesso na arquitetura e decoração. Por velarem a entrada abundante de luz e ao mesmo tempo permitirem uma boa ventilação em ambientes internos, eles se consolidaram como uma boa solução arquitetônica, principalmente em lugares onde o calor é abundante. Não é à toa que o recurso é muito utilizado na arquitetura árabe, por exemplo, onde surgiu uma das mais tradicionais e belas divisórias de ambientes: os muxarabis (Mashrabiya).

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (19)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (18)

Projeto de Guilherme Torres

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (14)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (13)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (6)

Projeto de Reinach Mendonça Arquitetos Associados

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (15)

Restaurante Manish – Projeto de ODVO Arquitetura e Urbanismo

aigai-spa2120

Aigai Spa – Projeto de Mario Figueroa

O muxarabi foi criado para fechar os ambientes de forma parcial, garantindo que as pessoas que estão do lado de dentro possam enxergar tudo o que acontece do lado de fora com privacidade total – no mundo árabe, o elemento tem como função principal manter as mulheres longe dos olhares masculinos. Ele chegou ao Brasil através dos portugueses e por aqui ficou… Hoje, é possível encontrar releituras das belíssimas tramas de madeira em inúmeras construções contemporâneas, como as projetadas pelo arquiteto Marcio Kogan, que transformou o elemento em marca registrada do seu trabalho.

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (2)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (11)

Casa da Bahia, Studio MK27 – Marcio Kogan

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (1)

Casa Cobogó, Studio MK27 – Marcio Kogan

Os muxarabis serviram também como referência para a criação de um elemento brasileiríssimo: o cobogó! Desenvolvido na década de 20 em Recife, os famosos bloquinhos vazados foram batizados com as iniciais de seus criadores, os engenheiros Amadeu Oliveira Coimbra, Ernesto August Boeckmann e Antônio de Góis: Co-Bo-Gó. No anos 50 eles ganharam força na arquitetura, mas por serem muito utilizados em ambientes pouco galmurosos, como a área de serviço, acabaram perdendo o seu charme inicial.

No entanto, há alguns anos, o cobogó voltou com tudo e passou a estrelar projetos de importantes arquitetos contemporâneos, além de se mostrar uma ótima alternativa para quem deseja manter certa privacidade mesmo com a tendência dos ambientes integrados e da explosão dos studios e mini apartamentos. Os elementos, inicialmente feitos de concreto, ganharam inúmeras paginações, desenhos e cores e hoje têm a cerâmica como principal matéria-prima, mas também ganharam versões de mármore, vidro e madeira. Lindos e atemporais!

 arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (17)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (16)

Projeto de Alan Chu

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (9)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (3)

Projeto de Marcela Madureira Arquitetura

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (7)

Projeto de Juliana Pipi

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (4)

Projeto de CR2 Arquitetura

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (5)

Projeto de Flávia Frauches

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (20)

arquitetura-decoracao-muxarabi-cobogo-studio-lab-decor (21)

Projeto de Nara Cunha

2946-sala-de-estar-apartamento-cobogo-itaim-filipe-ramos-viva-decora

72948-quarto-apartamento-cobogo-itaim-filipe-ramos-viva-decora

Projeto de Filipe Ramos Arquitetura

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *