22/11/2017

Myanmar: uma viagem inesquecível!

Visitei Myanmar (antiga Birmânia) recentemente, um país mágico do sudeste asiático que preserva muito seus costumes, mas está se abrindo para um novo mundo com a chegada da tecnologia e do turismo.

A simplicidade das pessoas é tocante e a espiritualidade e devoção é uma lição para nós do mundo ocidental.

Minha viagem começou por Yangon, o portão de entrada da maioria dos vôos internacionais e a maior cidade deste país de 52 milhões de habitantes. Algumas peculiaridades me chamaram muito a atenção:

Traje tradicional

O traje predominante chama-se longhi, uma espécie de saia amarram na cintura. É usada pela grande maioria da população, inclusive como uniforme de funcionários de hotéis e atrações. A vestimenta é fresca, o que ajuda com o clima quente, e o custo é baixo.

Budismo e centros religiosos

Em Yangon está a Pagoda Shwedagon, o primeiro centro religioso da Birmânia, uma construção gigantesca. Conta-se que aqui estão as relíquias de 4 antigos Budas! Em todos os templos é obrigatório estar descalça e não é permitido o uso de regata.

Existe um Buda para cada dia da semana, sendo que a quarta-feira é dividida em manhã e tarde, portanto são oito budas. A tradição diz que deve-se banhar o Buda correspondente ao dia da semana do seu nascimento. Pesquisei o meu e bingo… Nasci em uma quarta-feira! Para descobrir o horário certo (manhã ou tarde), tive que ligar para minha mãe e só depois disso consegui completar o ritual.

Passeio pelo lago de água doce

De Yangon voei para Heho para visitar Inle Lake, o famoso lago de água doce de Myanmar. O povo vive em palafitas e todo o transporte é feito de barco – os barqueiros remam com os pés, é impressionante! O comércio de artesanato é grande e muito bonito! Tivemos até uma refeição no meio do lago em alto estilo:

Paisagem coberta por templos antigos

De Inle Lake voei para Bagan, para fazer a parte da viagem que me deixou ainda mais apaixonada por esse país. São mais de 2000 templos! Não sabia para que lado olhar, parecia estar em um filme 3D!

Cruzeiro luxuoso

De lá, embarquei no luxuoso barco Sanctuary Ananda, que foi minha hospedagem durante as três noites seguintes. São poucas cabines, todas com varanda e uma decoração bem típica da região. Tudo era incluso: refeições, bebidas e até massagem! Uma supermordomia!

Conhecendo povoados e costumes locais

O barco faz algumas paradas nos povoados da região para visitarmos templos, mercados locais e trocar experiência com os locais. Ao fim deste cruzeiro fluvial comecei a me despedir desse país fascinante. Minha viagem durou 12 dias e a cada dia eu me sentia mais conectada ao povo e aos costumes. A filosofia do budismo sempre despertou minha curiosidade e admiração! Fui embora com o coração apertado.

Algumas observações sobre Myanmar

Acho que vale deixar bem claro que o visitante deve gostar deste tipo de destino, estar preparado para ver muita beleza, mas também muita pobreza e falta de recursos; para andar descalço e circular por aeroportos sem muita estrutura. Há todo tipo de hospedagem. Eu fiquei em hotéis maravilhosos e com serviço superior a muita cidade européia!

por Renata Levorin

Fotos realizadas por...

Renata Levorin | Sanctuary Ananda | Shutterstock

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *